quarta-feira, 23 de junho de 2010

YOBA em turnê pela Europa e Sudeste do Brasil

Vix, como esse blog aqui tá empoeirado. Faz tempo que não coloco nada aqui. Prometi a mim mesmo só postar depois que dar um grau no blog inteiro, pois sinto que está ficando pesado muito rápido.

Dentro de alguns dias, viajarei com a NEOJIBA e já deixo aqui adiantado o que vai rolar. Texto retirado do www.neojiba.org

See you soon ; )




DA BAHIA PARA O MUNDO: PRIMEIRA ORQUESTRA JOVEM DO BRASIL A SE APRESENTAR EM LONDRES E LISBOA É FORMADA PELO NEOJIBÁ
Turnê Internacional da Orquestra Juvenil da Bahia está confirmada para o mês de julho. Depois da Europa, a YOBA se apresentará em concertos inéditos no Sudeste brasileiro

Julho será um mês marcante para a Orquestra Juvenil da Bahia (YOBA – Youth Orchestra of Bahia), fruto do Neojibá - Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia. Afinal, será a primeira vez que uma orquestra jovem do Brasil se apresentará em duas das mais importantes salas de espetáculo da Europa: Queen Elizabeth Hall, em Londres, e Grande Auditório do Centro Cultural de Belém, em Lisboa. No retorno ao Brasil, os 100 integrantes do grupo realizarão sua 1ª turnê no Sudeste brasileiro, nas cidades de Belo Horizonte e São Paulo, além de se apresentarem pela segunda vez no Festival Internacional de Inverno de Campos de Jordão. Tudo com a qualidade e a vitalidade que marcam o Neojibá, programa que com menos de três anos de criação já dá sinais de um novo momento que se inicia na música clássica brasileira.
A Orquestra Juvenil da Bahia é composta pelos melhores integrantes das orquestras do Neojibá, um programa do governo do Estado da Bahia inspirado e apoiado pelo “El Sistema” da Venezuela. O programa foi criado em 2007 e já conta com duas orquestras (a Juvenil 2 de Julho e a Castro Alves), com mais de 80 apresentações em vários estados brasileiros e um público estimado de 60 mil pessoas. A Orquestra Juvenil da Bahia já é citada, pelo Southbank Centre, de Londres, como uma das mais enérgicas orquestras da atualidade. Agora, seus jovens músicos, com idades entre 12 e 25 anos, se preparam para a intensa jornada pelo Brasil e pelo mundo.

Europa redescobre o Brasil através da música clássica da Bahia
Com um repertório de músicas sinfônicas das Américas, a Orquestra Juvenil da Bahia fará sua primeira apresentação na Europa a convite do Southbank Centre, um dos centros culturais mais importantes do mundo, na capital britânica, como parte do Festival Brazil. O festival acontecerá entre os meses de junho e setembro e terá a YOBA como única representante da música clássica brasileira. O concerto será na Queen Elizabeth Hall, no dia 7 de julho.
A ida a Londres marca também o início da parceria entre o Neojibá e a National Youth Orchestra of Great Britain (NYO), através de um intercâmbio inédito envolvendo músicos de ambas as orquestras. Dez músicos da YOBA integrarão a NYO no encerramento de um festival promovido pelo Southbank Centre em homenagem ao compositor americano Leonard Bernstein e dez músicos da NYO participarão das apresentações da YOBA na Europa e no Brasil.
Em seguida a Orquestra segue para Lisboa, onde se apresentará no Grande Auditório do Centro Cultural de Belém (CCB), no dia 9. O local do concerto não poderia ser mais emblemático: o CCB fica em frente ao Marco dos Descobridores, local de onde partiram as caravelas rumo ao descobrimento do Brasil. E para onde o Brasil agora volta, representado pela 1ª orquestra jovem da Bahia. A viagem da Orquestra conta com o patrocínio da Petrobras.

Da Europa ao Sudeste brasileiro
Na volta ao Brasil, a Orquestra dará inicio à sua primeira Turnê Sudeste, após o sucesso da Turnê Nordeste, em agosto de 2009, que visitou sete capitais da região. A turnê começa no dia 13 de julho, em Belo Horizonte, no Teatro Sesiminas. Continua na capital paulista, onde a Orquestra terá a satisfação de se apresentar na Sala São Paulo, a melhor sala de concertos da América Latina. Para encerrar, retorna ao Festival Internacional de Inverno de Campos de Jordão, com um concerto no dia 18 de julho, desta vez no Auditório Claudio Santoro. A apresentação no festival de 2009, realizado na Praça Capivari, foi um sucesso.
Segundo o maestro Ricardo Castro, diretor e fundador do Neojibá, a Turnê representa o prestígio que o programa tem alcançado e a garantia de que veio para ficar: “Os convites para as apresentações na Europa são um reflexo do reconhecimento do nosso trabalho e do alto grau de excelência alcançado por este jovens músicos em menos de 3 anos”. A Turnê Sudeste conta com o patrocínio do Bradesco.

Acesso à musica clássica como política pública
 Criado em 2007 como um dos programas prioritários do Governo do Estado da Bahia, o Neojibá tem por objetivo alcançar a excelência e a integração social por meio da prática coletiva da música. No Brasil, o Neojibá é o primeiro programa governamental de formação de orquestras infanto-juvenis baseado no aclamado “El Sistema”, programa venezuelano criado há 35 anos. Seu diretor fundador e regente titular é o pianista Ricardo Castro, convidado em 2007 pela Secretaria de Cultura para criar e implantar o programa na Bahia.
Na primeira fase de implantação do projeto, os integrantes, que já possuíam iniciação na área musical, estão recebendo formação pedagógica específica para atuarem como monitores. Como continuidade do projeto, estes monitores ensinam novos integrantes e participam da criação de novos núcleos em diversos municípios do interior da Bahia e em bairros periféricos de Salvador. O mais importante diferencial entre o Neojibá e a maioria das outras iniciativas de arte-educação realizadas no Brasil é sua função de real integração social, estimulando o convívio entre crianças e jovens de vários segmentos da sociedade.
Segundo o maestro Ricardo Castro, os jovens pioneiros, integrantes da orquestras formadas pelo Neojibá têm o longo caminho profissionalizante do programa pela frente. “Tocam na primeira orquestra sinfônica juvenil criada na Bahia e participam de um programa que tem como meta levar a pratica orquestral a todos os jovens e crianças do Estado. Uma tarefa que levará tempo e que pelo pioneirismo no âmbito nacional coloca desde já esses jovens músicos/monitores na vanguarda da educação musical para os próximos anos”, conclui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário